terça-feira, 16 de julho de 2013

Por quê o colecionismo de facas é um grande barato



Uma Paixão Ancestral:

Dizem os estudiosos, os antropólogos e os amantes de lâminas que a primeira ferramenta que o homem criou foi uma faca. Sinceramente nunca li nem pesquisei nada à respeito, mas entendo como ponto pacífico que o homem primitivo não conseguiria caçar, preparar seus alimentos, se defender contra animais e inimigos, construir abrigos nem produzir suas vestimentas sem ter uma lâmina às mãos. A vida lhe seria impossível!

Réplicas de facas da Era da Pedra,
confeccionadas de pedra lascada (silex).

Certamente daí venha o nosso fascínio por ter, colecionar e carregar sempre conosco uma lâmina. É uma necessidade, nem sempre explicável, que remonta ao nosso mais longínquo ancestral.

Assim como está provado cientificamente que os homens tem muito mais capacidade de localização num determinado terreno, de memorizar caminhos e se recordar de direções, herdadas de nossos antepassados homens que deslocavam-se longas distâncias em busca de caça, enquanto suas mulheres ficavam cuidando da prole, também nos é inerente e remoto o desejo de ter e portar uma faca.

Facas submetidas e aprovadas no Teste de Certificação ao
Título de Maestro Coltellinaio (Mestre Cuteleiro)
na Feira de Cutelaria de Milão -Itália, em novembro de 2009.


O certo é que, para os amantes de lâminas, ter uma faca bem afiada e de fácil acesso por perto é nos traz muita segurança, sob o aspecto emocional. Ter à mão, uma boa faquinha ou um bom canivete já deve ter salvado a pele de muita gente!


Coleção de Facas de Caça Comemorativas dos meus
7 anos de carreira na cutelaria, que fiz para um grande cliente.


Jerry Fisk, provavelmente o cuteleiro mais famoso do mundo, Mastermith da American Bladesmith Society, o maior incentivador da fundação da Sociedade Brasileira dos Cuteleiros e entitulado Tesouro Nacional Vivo dos Estados Unidos da América, diz solenemente:

"- Todo homem gosta de facas! Ele pode até não saber disso, mas gosta!"

O simpatissíssimo Mestre Jerry Fisk e o
cuteleiro gaúcho Daniel Jobim,
que escaparam por pouco de serem esfaqueados por mim!
Eliminando a concorrência!!!

É obvio que hoje não disputamos o alimento com tribos rivais, nem precisamos proteger nossas cavernas de um Tigre de Dentes de Sabre. É mais provável que a faca nos ajude a abrir uma encomenda que acabou de chegar pelo correio, ou mesmo uma garrafa de bom vinho a ser degustada em boa companhia, excetuando-se as atividades de campo como caça, pesca e camping.

 
Como sempre aconteceu: 
os mais jovens aprendendo a usar suas facas com os mais velhos.

Mas a companhia de uma faca não se restringe somente a missões "menos nobres" como estas. Nos meus quase 21 anos de trabalho como Oficial na Polícia Militar do Estado de São Paulo, conheço casos de vidas que foram salvas pois o Policial carregava consigo uma boa lâmina.

Já soube de vários casos REAIS de salvamentos de vítimas em desacordadas veículos incendiados onde o Policial Militar socorrista não conseguia alcançar o botão de desconecção do cinto de segurança e, tendo sua fiel faquinha às mãos, cortou facilmente o cinto e salvou a vida da vítima que, caso contrário, seria terrivelmente consumida pelas chamas. 



Também conheço 2 casos, que presenciei como Comandante de Força de Patrulha, de vítimas suicídas mediante enforcamento, que foram salvas porque os policiais da Rádiopatrulha tinham uma faca à mão. Não pensem vocês que é possivel sustentar um homem de 80 kg, pendurado pelo pescoço numa viga do madeiramento do telhado de uma casa, desacordado, por muito tempo. É impossível. Em ambos os casos, as cordas foram cortadas e as vítimas foram ressucitadas sem sequelas à saúde.


Ademais, vamos e convenhamos, pelo menos nós homens, não há nada mais viril que um homem com uma faca nas mãos. Talvez nossas mulheres não entendam bem essa louca paixão por coisas que cortam, pois suas ancestrais mulheres não usavam tanto as facas como usavam os homens, mas no inconsciente feminino, um homem com uma faca na mão é um homem de verdade. Que me desculpem os metrossexuais e os mais delicados, mas eu cresci assistindo Daniel Boone, Conan o Bárbaro e John Rambo!!!

 O ator Fess Parker que interpretou Daniel Boone
 e em tv em preto e branco, durante a década de 70,
fez aguçar meu gosto por facas e por atividades no campo.
Nas mãos o mosquete, na cintura o revólver e na bota direita a faca.


Acho que ganhei minha primeira faca por volta dos 6 anos de idade. Meu pai era pescador dos bons e durante toda a vida fazia 2 grandes pescarias por ano em lugares como Pantanal, Xingú, etc. Assim, cresci no mato e com uma faca nas mãos.

No meu aniversário de 10 anos de idade, ganhei de presente uma grande faca Tramontina, com na época para mim, imensas 10 polegadas de lâmina, a qual ficava admirando por horas à fio.

Um dia, no quarto do meus pais, sentado em sua cama e com minha bela facona nas mãos, deixei-a cair, que parou fincada no peito do meu pé direito, ao que fiquei gritando como um louco até que meu pai saísse do banheiro e a tirasse do meu pé. Até hoje ostento com orgulho e saudosismo uma bela cicatriz no pé direito!

Acho que, assim como eu, todos os amantes de facas tem belas lembranças e histórias de infância.

Facas custom são BARATA$!!!

Provavelmente à essa altura do artigo, meus fieis leitores devem estar achando que enfrentar os tigres de dentes de sabre fizeram mal para a minha cabeça!!! Mas se me derem a oportunidade de explanar com calma e usar as comparações corretas, vou provar à vocês!

Quero usar dois modelos comparativos.

Vamos usar como referência minha faca de menor preço, uma faca de caça com 4 polegadas de lâmina em aço damasco e cabo de madeira importada. Vou considerar valores médios, apenas para termos uma referência.

Custo de produção em média (insumos):

  • Botijão de gaz: R$ 40,00
  • Aços: R$ 20,00
  • Tetra Borato de Sódio: R$ 1,00
  • Energia elétrica (todo o processo): R$ 20,00
  • Disco de desbaste: R$ 5,00
  • Disco de corte: R$ 1,00
  • Óleo de têmpera: R$ 1,00
  • Material do cabo: em média US$ 60,00 + U$ 15,00 (frete) + 6,3 % de IOF sobre produtos importados) totalizando: R$188,00
  • Água: R$ 1,00
  • Detergente: R$ 1,00
  • Percloreto Férrico: R$ 1,00
  • Fosfato de Manganês: R$ 2,00
  • Base de unha: R$ 1,00
  • Acetona: R$ 1,00
  • Algodão: R$ 1,00
  • Álcool: R$ 1,00
  • Cola epóxi: R$ 12,00
  • Lixas de cinta: R$ 20,00 
  • Limas: R$ 2,00
  • Lixas manuais: R$ 2,00
  • Couro: 2,00
  • Cola para couro: R$ 1,00
  • Linha para costura: R$ 1,00
  • Tinta para tingimento da bainha: R$ 1,00
  • Graxa para couro: R$ 1,00
  • Óleo lubrificante: R$ 1,00
  • Embalagem: R$ 1,00
  • Combustível (pra comprar tudo e por a faca no correio): R$ 8,00
  • Internet: R$ 1,00
  • Total: R$ 350,00

Tudo isso considerando a possibilidade de eu acertar todos os infindáveis processos na primeira tentativa sem ter que repeti-los. 

Não foram computados os custos das máquinas e ferramentas de que disponho para confeccionar as facas, mas que na realidade entram nos meus custos, afinal tive que investir nisto para conseguir produzi-las!

Pois bem, gastamos cerca de R$ 350,00 para produzir nossa faca de caça. Em tese o valor restante (R$ 1150,00) seria referente à mão-de-obra.

Mão-de-obra (horas trabalhadas):

Já calculei o tempo de produção que gasto para confeccionar uma faca dessas. Vamos lá:

  • Horas trabalhadas para confeccionar a faca completa (deste modelo): 16 horas;
  • Bainha: 3 horas;
  • Fotografia e internet: 1 hora;
  • Postagem no correio: 1/2 hora;
  • Total: 20,5 horas trabalhadas.

Fazendo uma conta rápida, vamos constatar que a minha hora trabalhada custa R$ 56,10.

Esse é mais ou menos o mesmo valor da hora trabalhada de um torneiro mecânico, sendo certo que em grandes cidades o valor recebido é bem maior.

Se considerarmos que em todo o país não existem, ESTIMANDO MUITO EXAGERADAMENTE 50 profissionais com conhecimento técnico para realizar um trabalho no mesmo nível e que (sem qualquer demérito aos torneiros mecânicos - longe disso!!!) no mesmo país existam milhões de torneiros mecânicos, chegamos à feliz constatação que as facas custom produzidas manualmente são REALMENTE BARATA$!

A especialização não vale nada??? Claro que vale!!!

E a exclusividade do produto? Afinal, cada faca feita à mão é absolutamente única e exclusiva!

Depois de botar "o preto no branco" e de "matar a cobra e mostrar o pau", suponho que eu tenha conseguido convencer até o mais teimoso dos argumentadores, de que facas feitas à mão são monetariamente baratas!!!

Facas custom são um bom INVE$TIMENTO!!!

Nos Estados Unidos da América, maior mercado de facas custom do mundo, existem vários investidores que destinam seus dólares na compra e revenda de facas. 

Eu já vendi várias peças para um colecionador, cuja coleção, segundo consta, ultrapassa em muito 1 Milhão de Dólares. Todas elas foram por ele revendidas, rendendo-lhe um grande lucro.

Por exemplo: Vendi-lhe uma espada, com 80 centímetros de comprimento, em aço damasco, de construção integral, com cabo de marfim de mamute por US$ 4000,00. Exatas 3 semanas depois ele a leiloou pelo valor inicial de US$ 6.000,00. Infelizmente não tenho como saber por qual valor foi arrematada.

Muitos poderiam pensar que neste negócio eu estaria perdendo dinheiro, mas para mim, como profissional isso é ótimo, pois o colecionador sabe que investir em peças confeccionadas por mim dão bom retorno, bem como esse circular das peças pelas mãos de várias pessoas divulgam e valorizam o trabalho.

Isso acontece com todos os bons artistas, que conduzem suas carreiras com seriedade.

A espada integral vendida para os Estados Unidos.

A bola de aço damasco esculpida à lima.

O encaixe perfeito das talas de marfim de mamute
no chassi integral de aço damasco.

Artistas com futuro promissor e especialmente os já consagrados são lucro certo para quem quer ganhar algum dinheiro e se divertir com um hobby empolgante e saudável. Facas de cuteleiros renomados somente valorizam com o tempo e à medida que estes artistas vão evoluindo sua execução técnica. 

Pode-se comprar algumas boas peças, divertir-se com isso e depois de algum tempo, revendê-las por maior preço.

Facas custom são quase eternas:

Quanto dura uma faca? Até agora, pelo que sei, a lâmina mais antiga e perfeitamente preservada já encontrada foi a espada do Faraó Egípcio Tutankhamon, que data de 1350 A.C.


A King Tut.

Espadas japonesas de mais de 700 anos, estão perfeitamente preservadas em museus do Japão e da Inglaterra. Em estado absolutamente igual ao que estavam quando foram confeccionadas.


Katana japonesa.

Dizem que os diamantes são eternos, mas sinceramente eu acho que nem eles. A questão é que, se utilizadas adequadamente, bem cuidadas e acondicionadas, facas feitas a mão podem durar muitas décadas, séculos ou, quem sabe milênios.

Já conversei com alguns colecionadores que me disseram que um dos grandes baratos de seu hobby é o de pegar uma bebida, fazer manutenção em suas facas e admirá-las, falando sobre elas com algum amigo.

Uma bela coleção de facas custom.

Um excelente tênis de corrida, produzidos aos milhares/hora por uma máquina, custa hoje cerca de R$ 1500,00 e para uma pessoa que o utilize com regular frequência, ele durará cerca de 6 meses, até que comece a lesionar o corredor devido à pisada torta. 

Já uma faca feita à mão, uma peça de arte, única e exclusiva, de mesmo preço, confeccionada sob medida de um artista para um determinado cliente e que tem garantia vitalícia sobre eventuais problemas advindos da confecção, pode durar várias gerações de uma mesma família.

Um belo legado para nossos filhos!

Telefones: (17) 3525-2595 e (17) 9727-0246
Email: e.berardoknives@gmail.com
http://www.facebook.com/eduardo.cenevivaberardo

sábado, 6 de julho de 2013

Belinha

Paulo Mouzinho, grande amigo, entusiasta de cutelaria, colecionador e..., o mais importante de tudo, marido da Silvana Mouzinho (essa você gostou né Silvaninha), pediu-me para fazer, sob encomenda uma faca de caça, com lâmina drop point de 4,5 polegadas, em damasco ondas de fogo e cabo semelhante ao pistol grip em osso de girafa.

Como os Mouzinho, família pra lá de simpática e querida, cuja Chefona (gostou de novo né Silvana) é uma das pessoas que mais promovem a cutelaria custom de nosso país, por meio do Salão Paulista de Cutelaria, da reunião mensal do Conversa Afiada e de um monte de outras coisas que a Silvana inventa pra promover nossa arte, resolvi nominar esta faca com o nome da sucessora, Isabella a filha do casal, tão simpática, sorridente e tagarela quanto a mãe e que desde bem criança, vive perambulando nos eventos de cutelaria com facas e canivetes nas mãos.

Um grande beijo no coração dos Mouzinho's!


A Belinha.

Silvana Toda-Toda Mouzinho,
em entrevista para a Rede Globo, promovendo a cutelaria nacional
na II Mostra Internacional de Cutelaria, evento promovido por Roger Glasser.

 As curvas do cabo promovem perfeita acomodação dos dedos, 
além de um forte incremento estético.

Batman e Robin? Bob Esponja e Patrick? 
Não!
Tio Ricci e Silvana Mouzinho, 
na merecida premiação de Destaque do Show 2012.

 Vista superior. Cabo "acinturado" e gradual distal taper.

O belo craquelado em tons contrastantes de preto a cinza claro,
e o forte brilho adquirido pelas talas de osso de canela de girafa.

 Berardo e Silvana, conversando sobre facas e "faqueiros",
durante a Mostra Internacional de Cutelaria 2013.

Vista superior da perfeita junção das talas de osso de girafa.
As faces coladas ficam praticamente imperceptíveis.

Um projeto totalmente curvilíneo e harmônico.

Berardão e Silvaninha aprontando todas no último
Salão Paulista de Cutelaria.

Combinação perfeita dos tons do cabo com os do aço damasco.

A junção no "ventre" do cabo.

O "Carrapato de Faca" apelido sacana que dei para a miniatura
 de faca de aço damasco feita por Silvana Mouzinho. 
Vocês não enxergaram ainda? Está sobe a lâmina da El Draco I.

O "pomo" abobadado que evita danos em casos de queda da faca
e que fica realmente muito bonito.

A Belinha de "saia".

Silvana e Paulo Mouzinho, barbarizando no Bladeshow em Atlanta 2013.
Gente Chique é outra coisa!!!

Telefones: (17) 3525-2595 e (17) 9727-0246
Email: e.berardoknives@gmail.com
http://www.facebook.com/eduardo.cenevivaberardo

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Pocket Killer

Olá Pessoal. Há algum tempo atrás eu fiz uma Bowie em dimensões, para mim até então impensáveis, com diminutas 4 polegadas e meia de lâmina. A Baby Bowie.

Digo impensável, não porque seja uma aberração ou um equívoco técnico, mas tão somente por ser uma medida muito fora do convencionalmente praticado para facas Bowies, que normalmente contam com mais de 8 polegadas de lâmina. 

Confesso que inicialmente fiquei um pouco receoso, especialmente com a relação as proporções e funcionalidade.

Entretanto eu gostei demais do resultado final da peça, o proprietário colecionador também, assim como as pessoas que acompanham meu trabalho, tecendo muitos elogios.

Recentemente recebi uma encomenda ousada. Um amigo médico e empresário, que está iniciando na cutelaria custom, solicitou-me que lhe fizesse uma faca de luta que lhe coubesse no bolso!

A Pocket Killer

Sem dúvida é um desafio, mas depois da experiência da Baby Bowie, sabia que conseguiria um bom resultado.


O resultado está aí, e ganhou este nome pois ainda estou influenciado pela onda de matanças de meu último artigo!!!

Vista de "barriga pra cima". 
Notem que fiz um cabo bem estreito,
para vão fazer volume nem no bolso,
nem na cintura, por debaixo da jaqueta.

Escolhi exatamente o mesmo design de lâmina da El Draco II, com fio recurvo, falso-fio acima do dorso e clip point, mas com apenas 35% das dimensões da lâmina original, que resultou em também 4 polegadas e meia.

A suave concavidade do fio e o falso-fio destacado.
Como diz Jerry Fisk "a beleza está nas curvas".

A perfeita e simétrica usinagem do falso-fio,
que se encontra bem ao centro longitudinal do dorso da lâmina.

O aço damasco, acompanhando as dimensões da peça, é um miúdo Ondas de Fogo, com 1680 camadas.

Close-up do Damasco.

Como toda boa fighter, ela tem guarda dupla, mas também pequenina para não atrapalhar a portabilidade.

A diminuta guarda dupla em aço damasco.

O cabo tem design semelhante ao Pistol Grip, e foi feito em Arizona Desert Ironwood. Escolhi esta madeira nobre por 3 motivos: é linda, muito desejada por colecionadores custom e por ter uma cor discreta, que não chamará a atenção quando seu proprietário a estiver portando.


O design curvilíneo e sensual do cabo,
que combina perfeitamente com as curvas da lâmina.

A bainha é de couro de búfalo e foi revestida em couro de avestruz.

Pequenina, mas muito arrojada!

Gostei muito das proporções e especialmente da sensação nas mãos, pois cai como uma luva, tanto na empunhadura convencional, quanto na invertida.

Vista superior.

Matadora de Bolso!

Telefones: (17) 3525-2595 e (17) 9727-0246
Email: e.berardoknives@gmail.com
http://www.facebook.com/eduardo.cenevivaberardo